Boas práticas de Cibersegurança na ótica do utilizador (nível intermédio)

Fundamentação

  • O tema da cibersegurança é incontornável na sociedade moderna. À medida que o valor económico da informação e a densidade digital aumentam, torna-se crítico um ambiente estável e de qualidade para a gestão da informação.
  • A dependência do digital é um novo padrão de desenvolvimento, sendo que tem vindo a ser acompanhada da ascensão do risco de cibersegurança no plano dos riscos globais. Os ciberataques estão hoje no top 10 dos riscos globais, sendo um tema que se reconhece como permanente e persistente.
  • O progresso e a transformação digital só poderão traduzir-se em valor para as empresas e os indivíduos se for acompanhado do reforço das competências digitais de cibersegurança e da sensibilização da sociedade para as oportunidades e os riscos do ciberespaço.
  • A sensibilização do nível executivo para o tema, numa linguagem clara que traduza o racional económico para a cibersegurança, é essencial visando motivar a ação dos decisores.
  • Em paralelo, o fator humano é colocado em destaque, em linha com o seguinte mote “os amadores atacam sistemas; os profissionais atacam pessoas”. Assim, este é um módulo diferenciador uma vez que aplica um pensamento holístico à cibersegurança, para além do vetor tecnológico, promovendo o interesse (e a ação) dos decisores.

 

Objetivos gerais dos cursos

  • Sensibilizar o nível intermédio para os novos desafios e novos riscos do ciberespaço
  • Partilhar boas práticas de gestão dos sistemas de informação, na perspetiva do utilizador final
  • Desenvolver boas práticas de cibersegurança, numa visão integrada, desde a identificação dos riscos, implementação de medidas de proteção, até ao seu controlo e revisão em continuidade

 

Destinatários

  • Líderes empresariais e gestores de organizações que se enquadrem no novo perfil de cibervítimas, designadamente:
    1. Empresas de serviços financeiros
    2. TOC (Técnicos oficiais de contabilidade)
    3. Laboratórios clínicos
    4. Entidades de organismos públicos
    5. Organizações com exposição pública
    6. Empresas com clientes internacionais
  • Consultores e auditores;
  • Responsáveis por start-ups e empresas com exposição ao ciberespaço.

 

Conteúdos programáticos

  • Ameaças e boas práticas na ótica do utilizador
  • Redes sociais: controlos e aplicações

 

Coordenador e equipa de formadores
A coordenação científico-pedagógica e a formação é da responsabilidade do Hélder José Rodrigues Gomes, Doutorado em Engenharia Informática, é Professor Adjunto na Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Águeda da Universidade de Aveiro (ESTGA-UA), sendo atualmente diretor do CTeSP em Redes e Sistemas Informáticos e vice-diretor da licenciatura em Gestão Pública e Autárquica. É colaborador do Instituto de Engenharia Eletrónica e Informática de Aveiro (IEETA). A sua principal área de interesse é a segurança informática, com maior enfoque na sua aplicação no área do e-government e na proteção dos utilizadores, sendo autor de várias publicações científicas. Antes de ingressar na UA, desenvolveu atividade profissional como Engenheiro de Software tendo, entre outros, participado em projetos nacionais e internacionais para o desenvolvimento de sistemas de comunicações táticas militares

 

A equipa de formadores e oradores convidados é constituída por:

Bruno Marques

Carlos Pires

Fernando Mendes

José Dinis

Nuno de Goes

 

Ver informações detalhadas sobre os formadores na Ficha de Curso.



...a saber
  • Regime
    Presencial
  • Datas
    a definir | 14H
  • Horário
    6ª feiras: 9h30 – 18h00
  • Benefícios / Early Bird
    20% de desconto (336€) para quem efetivar (pagar) a inscrição até 1 mês antes do início da formação
  • Preço
    420€
Ficha de curso (pdf)

    * Campos de preenchimento obrigatório

    Contacto

    José Carlos Maximino